RONAN GIL 

 

      Atualmente é professor de percussão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG). Nesta instituição, foi coordenador do Curso Técnico Integrado em Instrumento Musical e estruturou juntamente com o Prof. Dr. Fernando Chaib e o Prof. M. Leonardo Labrada o curso de percussão e o Laboratório de Percussão (LaPe), criando ainda o primeiro grupo de percussão da instituição (GruLaPe). 
     É Bacharel em Percussão pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (Unesp), tendo estudado com John Boudler, Carlos Stasi e Eduardo Gianesella. Possui Especialização em teclados de percussão pelo Conservatoire de Strasbourg com Emmanuel Séjourné e Mestrado em Composition et Interprétation Musicale pela Université de Strasbourg (França) com Emmanuel Séjourné e Alessandro Arbo. 
   Foi agraciado com o Prêmio FUNARTE de Concertos Didáticos de 2014 e com Prêmio da Secretaria Estadual de Cultura de Goiás (Fundo de Cultura 2013). Pela Unesp obteve o Prêmio de Excelência em Pesquisa em 2010 por seu trabalho de conclusão de curso ("Repertório brasileiro para vibrafone solo"), tendo pesquisado amplo repertório contemporâneo para vibrafone. Recebeu ainda o Prêmio Jovem Pesquisador Professor Severino Márcio Pereira Meirelles por seu trabalho de Iniciação Científica (PIBIC - UFMT, 2000). Em seu trabalho de mestrado pela universidade de Estrasburgo apresentou dissertação sobre o repertório para percussão e música eletroacústica mista, tendo trabalhado com luteria digital e novos componentes eletrônicos para conexão intérprete e sistemas computacionais. 
         Atuou junto ao Grupo Piap por quatro anos com criação e estreia de obras de diversos compositores brasileiros e estrangeiros. Com este conjunto apresentou-se em todo o Brasil, nos EUA e Canadá (durante a Turnê Norte Americana 2010) e participou de concertos com o Duo Katia e Marielle Labèque. 
     Concebeu e organizou junto com Karen Montija e Glória Fernandes o espetáculo Prisma (2008) com instalação sonora e visual, realizando uma interação em tempo real entre três salas de concerto e reunindo artistas de diferentes vertentes (músicos, artistas plásticos, bailarinos e vídeo artista). 
      Trabalhou junto com Tom Mays para criação da Orquestra de Compu-tadores de Strasbourg, tendo atuado ainda em música e interação computacional com Antoine Spindler, Yves Kayser e Philippe Aubry. 
    Foi contratado como professor (Chargé de cours e Percussioniste accompagnateur) no Conservatoire de Strasbourg. Nessa instituição esteve ligado aos departamentos de percussão, de teoria e educação musical e de dança, para o qual criou ainda a trilha de diversos espetáculos com percussão e eletrônica em tempo real. 
       Fundou os grupos: DUALpha, Babel Trio e Ensemble Vertebrae, todos voltados para o repertório contemporâneo e a criação de peças de vanguarda. Integrou as mais diversas formações de câmara: Accroche Note, Texture Ensemble da Milano, Ensemble Plurium, DuAnphibios com concertos na França, Itália, Luxemburgo e Espanha.
        Estreou obras de diversos compositores brasileiros, dentre os quais Roberto Victorio, Flo Menezes, Fernando Iazzetta, Marisa Rezende, Ivan Chiarelli e André Bandeira, e de compositores estrangeiros, como Stefano Gervasoni (Itália), David Hernandez Ramos (México), Jacopo Costa (Itália), Patricia Goberna (Espanha), José Manoel Gatica (Chile), Nicolas Tzortis (Grécia), Franck Christoph Yeznikian (França), Vito Žuraj (Eslovenia), Svetlana Abracheva (Bulgária), dentre outros. Lhe foram dedicadas obras solo e concerto com orquestra de Clara Olivares (França), Nikolet Burzyńska (Polônia), Roberto Victorio e Ivan Chiarelli.
 
Para mais informações e detalhes clique aqui:                                             
        
  • w-facebook